terça-feira, 23 de dezembro de 2008

CHEIROS TÓXICOS: Os perigos do incenso, ambientadores e velas aromáticas.

:: CHEIROS TÓXICOS ::OS PERIGOS DO INCENSO, AMBIENTADORES E VELAS AROMÁTICAS
Usar velas aromáticas, incenso ou outros produtos com cheiros feitos à base de químicos sintéticos, representam um perigo muito elevado para a saúde. Em 2007, em reportagens visionadas nos jornais televisivos, foi demonstrado a nível internacional que estudos científicos comprovavam que quase todos os produtos deste género feitos à base de químicos sintéticos, além de provocar muitos e diversos problemas de saúde, a longo prazo provocam cancro.
Boicote velas aromáticas e especialmente ambientadores, pois todos eles contêm substâncias tóxicas.
Se pretender utilizar incenso, certifique-se que este é 100% natural (normalmente feitos na Índia de forma artesanal), exija ler o rótulo e saber a sua origem. Sempre que tiver dúvidas, não arrisque, não compre.
Existe uma maneira fácil de identificar os incensos nocivos - a grande maioria que se vende no Ocidente - e os fabricados artesenalmente na India; todos os incensos artesanais, feitos à maneira antiga, têm como base agregadora a bosta de vaca. Basta pegar num pauzinho e apertá-lo nos dedos: se for mole, foi feito com bosta de vaca e não levam quimicos. Um exemplo muito conhecido é o Nag Champa azul. Muitos dos incensos do budismo tibetano e do Zen também são isentos. Todos (talvez haja excepções) os incensos feitos no ocidente são altamente tóxicos. Mas os incensos estão na moda e, como de costume, quase ninguém quer saber dos perigos. Por isso é bom lembrar isso constantemente.

* * *

Perigos do incenso e velas aromáticas à base de químicos sintéticos:
Usado desde a Antigüidade com sentido de purificação e proteção, o incenso acaba de receber sinal vermelho da Pro Teste, a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor. Cinco marcas avaliadas mostram que daquela fumacinha, aparentemente inocente, exalam substâncias altamente tóxicas.
Queimando um incenso todos os dias, por exemplo, a pessoa inala a mesma quantidade de benzeno -substância cancerígena- contida em três cigarros, ou seja, em torno de 180 microgramas por metro cúbico. Há também alta concentração de formol, cerca de 20 microgramas por metro cúbico, que pode irritar as mucosas. As substâncias nem de longe lembram as especiarias aromáticas com as quais o incenso era fabricado no passado, como gálbano, estoraque, onicha e olíbano. Se há uma leve semelhança, ela reside na forma obscura da fabricação. No passado, o incenso era preparado secretamente por sacerdotes.
Hoje, o consumidor também não é informado como esses produtos são feitos e quais substâncias está inalando. O motivo é simples: por falta de regulamentação própria, os fabricantes de incenso não são obrigados a fazer isso. Nas cinco marcas avaliadas (Agni Zen, Big Bran, Golden, Hem e Mahalakshimi), todas indianas, não há sequer o nome do distribuidor brasileiro na embalagem. Muito menos a descrição de quais substâncias compõem o produto. A Folha tentou localizar as empresas, por meio dos nomes dos incensos, mas, assim como a Pro Teste, não teve sucesso. A avaliação foi feita a partir da simulação do uso em ambiente parecido com uma sala. Segundo a Pro Teste, foi medida a emissão de poluentes VOCs (compostos orgânicos voláteis) e de substâncias passíveis de causar alergias, como benzeno e formol.
As concentrações foram medidas após meia hora do acendimento. Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Pro Teste e colunista da Folha, alerta que os aromatizadores de ambiente, como o incenso, são vendidos sem regulamentação ou fiscalização, o que representa perigo à saúde. "Os consumidores pensam que se trata de produtos inofensivos, que trazem harmonia e, na verdade, estão inalando substâncias altamente tóxicas e até cancerígenas." A Pro Teste reivindica que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) faça um estudo sobre o impacto dos produtos na saúde e elabore regulamentação para a produção, importação e venda no Brasil.
Folha Online - Brasil09/03/2008
Veja-o aqui
http://www.eco-gaia.net/forum-pt/index.php?topic=783.0

2 comentários:

Luiza disse...

Estou sofrendo de bronquite e percebi que meu problema se agravou. Minha vizinha, que mudou-se há pouco tempo, faz uso de incenso todos os dias e sinto esse cheiro muito forte de flores em minha casa, um cheiro insuportável. Começo a tossir e sentir falta de ar. Minha mãe tem tido dores de cabeça. Sou obrigada a fechar todas as janelas e nem sair no quintal. Fui conversar com ela, e essa vizinha me disse que nada podia fazer, pois estava em sua casa e ela tinha os seus direitos. Mas, e o meu direito de respirar um ar puro? Luiza

CatarinaGarcia disse...

Há muita gente assim e quando são os nossos próprios vizinhos é sempre um problema.
As melhoras para a sua bronquite e estou a torcer para que a sua vizinha mude de atitude!